Código de conduta


Alberto Boarini é membro da EARTH (Associação Européia de Terapia Regressiva desde 2008)


1. Nós informamos adequadamente os clientes sobre a terapia e seus limites.
2. Nós não deturpamos nossas qualificações profissionais, afiliações e objetivos. Nós divulgamos aos possíveis clientes, quando solicitado, nossa formação, qualificações e competências.
3. Nós não rejeitamos clientes com base no género, raça, background étnico, cultura ou preferência sexual.
4. Nossa recepção e sala de atendimento são apropriadas. Nossa higiene pessoal e a higiene de nossa sala de terapia são impecáveis.
5. Nós somos responsáveis pela terapia, mas nunca atuamos contrariamente ao melhor interesse de nossos clientes ou à sua vontade expressa. Entretanto, nós não podemos fugir à nossa responsabilidade alegando seguir um pedido do cliente. Sempre o bem-estar do cliente é o primeiro elemento a ser levado em consideração. Quando a nossa responsabilidade profissional e os desejos do cliente são conflitantes a relação terapêutica é terminada de uma forma cortês. Nós não culpamos o cliente nem a nós próprios por isso.
6. Como nós lidamos com pensamentos íntimos, sentimentos e detalhes da vida do nosso cliente, nós mantemos uma distância profissional. Nós apresentamos nosso trabalho e a nós próprios de forma profissional. Nós não nos comportamos como amigos pessoais ou conhecidos. Nós não entramos em relacionamentos íntimos de qualquer tipo com clientes.
7. Nós evitaremos a transferência, contratransferência e outras projeções. Nós não assumimos o papel de Ajudador ou Salvador; nós desencorajamos a admiração e a deferência do cliente. Nós evitamos tornar os clientes dependentes de nós; nós estimulamos a sua própria responsabilidade e independência.
8. Nós não tentamos converter clientes a nenhuma crença ou prática. Nós respeitamos suas convicções, embora nós possamos indicar como estas parecem se relacionar aos seus problemas, se for o caso.
9. Nós construímos um relacionamento de confiança com o cliente e não trairemos essa confiança. Nós trataremos toda a informação dos clientes de forma confidencial e não a divulgaremos sem o consentimento pleno do cliente, a não ser que quando obrigados pela lei. Em publicações nós protegemos o anonimato do cliente ou pedimos a permissão escrita.
10. Nós executamos somente aquelas terapias para as quais nós somos qualificados. Não fornecemos nem oferecemos diagnósticos e tratamentos que estão limitados pela lei aos médicos licenciados, a não ser que sejamos licenciados para fazê-lo.
11. Nós estaremos atentos às necessidades dos clientes que estivem além da nossa experiência ou formação. Neste caso encaminhamos o cliente a colegas ou sugerimos outros métodos mais apropriados fora de nosso campo.
12. Nós recomendamos aos clientes procurarem uma consulta médica quando os problemas possam ter causas médicas. Nós nunca sugerimos diminuir ou parar a medicação. Nós limitamo-nos a doenças psicossomáticas e queixas físicas para as quais nenhuma causa física foi encontrada. Nós não fingimos curar doenças sérias e terminais, mas no melhor dos casos influenciar de forma favorável o curso de tais doenças.
13. As sessões são gravadas somente com o consentimento do cliente. O cliente pode retirar o consentimento após a sessão. É permitido aos clientes fazerem cópias dos registos das sessões.
14. Nós nos abstemos de fazer observações de descrédito aos clientes sobre colegas ou outras terapias no campo convencional ou alternativo.
15. Nós respeitamos e protegemos os trabalhos profissionais e as idéias originais dos outros, e damos o crédito pleno e fazemos a citação apropriada para tais trabalhos e idéias quando usados em nossas publicações e apresentações.
16. Nós estamos dispostos a discutir nossas atividades profissionais com os nossos colegas. Nós colaboramos com os procedimentos de queixas e denuncias.
17. Nós avaliaremos nossas próprias competências, habilidades e limitações. Nós procuramos conhecimento e habilidades adicionais através da participação nos seminários, workshops ou formações e outras oportunidades. Nós mantemo-nos informados sobre os desenvolvimentos na profissão e na sociedade.
18. Nós colaboraremos com toda a pesquisa séria que não prejudique o processo da terapia. Nós aceitamos as diretrizes académicas aceites em geral na pesquisa com pessoas.
19. Nós exercitamos a prudência e a discrição na promoção, encorajamento, e ao facilitar a consciência pública e a compreensão do nosso campo. Nós evitamos sensacionalismo, mentiras ou reivindicações erróneas.
20. Nós aderimos às diretrizes profissionais e aos padrões de bom gosto aceites em informar o público geral da disponibilidade do nosso serviço.
21. Nós procuramos proteger o público dos todos aqueles que não estão qualificados à prática neste campo pela instrução deficiente, preparação, competência, estabilidade emocional, ou padrões éticos.
22. Quando nós observarmos práticas profissionais impróprias de colegas associados, nós sempre que possível, discutiremos isto com eles. Se isto não for suficiente para uma mudança, nós informaremos aos conselhos e ou associações competentes por escrito.